Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/12/19 às 10h36 - Atualizado em 23/12/19 às 11h45

Balanço 2019: relembre os principais produtos e estudos lançados pela Codeplan no ano

#InfoDF, sumários executivos, acordos de cooperação técnica, projeto de transformação da empresa foram alguns dos trabalhos realizados em 2019.

 

 

Assinatura de ACT com o UniCeub. Na imagem, o presidente da Codeplan, Jean Lima e o reitor do UniCeub, Getúlio Américo Moreira Lopes. (Foto: Divulgação/Codeplan)

Com apenas um ou dois cliques, o brasiliense hoje pode acessar informações estatísticas sobre o Distrito Federal diretamente no seu celular, isso graças ao #InfoDF (infodf.codeplan.df.gov.br), portal lançado pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) em setembro de 2019. A ferramenta faz parte de uma série de iniciativas implementadas pela empresa para facilitar o acesso aos estudos e pesquisas pela população.

 

“Uma das missões ao assumir a presidência da Codeplan era levar a um maior número de pessoas, do secretário ao cidadão, os estudos e pesquisas que a empresa produz. O #InfoDF reflete esse trabalho, um portal acessível pelo celular, que apresenta de maneira simples e objetiva todos os dados estatísticos da nossa região”, explica o presidente da Codeplan, Jean Lima.

 

Organizado por painéis temáticos, no #InfoDF o usuário pode acessar dados sobre população, educação, cultura, saúde, trabalho e segurança, além de aspectos econômicos e urbanos divididos por regiões administrativas. Há ainda seção de comparativos, dados sobre a região metropolitana de Brasília, monitor do mercado de trabalho da capital e informações geográficas. A ferramenta também possibilita a geração de relatórios e o download das informações.

 

No ano que vem, o portal ainda vai ganhar novas seções, como a do Mapa do Emprego, que incluirá as estatísticas sobre emprego nas cidades da região metropolitana e uma outra que será dedicada aos dados pesquisados sobre a população feminina.


Aproximação com o gestor
– Principal fonte de dados demográficos e socioeconômicos do Distrito Federal, a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD) também teve uma nova edição apresentada em 2019. Além da pesquisa completa divulgada em março, a empresa realizou oito apresentações separadas por áreas e foi às Regiões Administrativas para divulgar os dados locais.

 

“Ir às RAs e mostrar as pesquisas sobre aqueles territórios foi importante para promover a aproximação entre a Codeplan e os gestores locais. Muitos não conheciam os estudos que desenvolvemos, e pesquisas são a base para a elaboração de políticas públicas eficientes”, afirma Lima.

 

Ele acrescenta que durante o ano a empresa também promoveu oficinas sobre o #InfoDF e extração de microdados da PDAD, para servidores do GDF e representantes das administrações regionais.

 

 

Lançamento do #InfoDF no Palácio do Buriti (Foto: Renato Alves/Agência Brasília)

 

 

Estreitar as relações com os deputados distritais também foi um trabalho desenvolvido ao longo de 2019. Logo nos primeiros meses, foi apresentado aos 24 representantes da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) um portfólio de pesquisas que explicava detalhadamente como a empresa pode auxiliar os representantes da Casa elaborando estudos que darão subsídios técnicos aos projetos legislativos, bem como esclarecendo como destinar emendas parlamentares a esses trabalhos.

 

A ação rendeu frutos e, pela primeira vez, a empresa receberá emendas parlamentares para a elaboração de pesquisas. Uma delas, destinada pelo deputado Fábio Felix, vai financiar um levantamento sobre a trajetória dos adolescentes do socioeducativo, permitindo a elaboração de políticas de prevenção. Outra, em parceria com o distrital Eduardo Pedrosa, custeará uma pesquisa acerca da possibilidade de implementação do IPTU Verde, identificando as possibilidades de subsídios similares e seu potencial de impacto no mercado.

 

Uma terceira, encaminhada pelo deputado José Gomes, financiará um estudo para analisar as possibilidades de empregabilidade de pessoas com deficiência. Em linha semelhante, um estudo acerca sobre pessoas com Transtorno de Espectro Autista (TEA) vai entender o perfil e trajetória, do diagnóstico às possibilidades de emprego. Todas as pesquisas têm previsão de execução e divulgação dos dados para o ano que vem.

 

Ainda na CLDF, a Codeplan também fechou uma parceria para colaborar com o Observatório de Gestão Pública, uma iniciativa que visa dar transparência na fiscalização de recursos públicos. Serão ministradas oficinas sobre o #InfoDF para capacitar os servidores da Casa a extrair informações estatísticas na ferramenta.

 


Estudos sintetizados
– Com o objetivo de sintetizar os estudos e traduzí-los para uma linguagem mais acessível, foram criados os sumários executivos, resumos das pesquisas com texto mais direto e focado em elementos gráficos.

 

Os textos são disparados via redes sociais, que também foram criadas nesse ano, e ancorados junto aos estudos completos no site da empresa: PMAD 2017-2018, Transporte de Carga no DF: questões e desafios e A Natalidade no DF entre 2000 e 2016: evolução e características foram alguns dos sumários publicados.

 

A Codeplan também passou a promover uma série de estudos sobre a conjuntura econômica do DF. Por meio das publicações econômicas, gestores e usuários do #InfoDF possuem à disposição os principais indicadores econômicos regionais. Semanalmente, os resultados também são apresentados na Secretaria de Economia, possibilitando um acompanhamento preciso sobre a economia local.

 

Ainda na área econômica, trimestralmente é apresentado aos secretários de estado o Boletim de Conjuntura do DF, que inclui o Índice de Desempenho Econômico do Distrito Federal (Idecon-DF), pesquisas mensais de comércio e serviços, além da situação inflacionária por meio do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o mercado de trabalho com base na
Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED).

 

Além dos painéis de análises econômicas e dos informes econômicos, a empresa também alimenta o blog Conjuntura Econômica, que reúne todos os indicadores econômicos do DF, como PIB, emprego, inflação, comércio e serviços, finanças públicas, entre outros. O objetivo é tornar o acesso aos dados econômicos do DF mais dinâmico e informativo.

 

Sumários executivos sintetizam estudos publicados pela Codeplan (Crédito: Arte/Codeplan)

Acordos com secretarias e universidades – Para 2020, um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com o UniCeub vai possibilitar a criação de um game de sobre o circuito turístico do Distrito Federal. O jogo será desenvolvido por alunos da Ciência da Computação da instituição e tem como objetivo proporcionar ao turista uma imersão no território, para incentivá-lo a conhecer mais sobre o DF.

 

O presidente da Codeplan explica que o produto se adequa perfeitamente à proposta do governo de desenvolver ações em parceria com a universidade que beneficiem diretamente o cidadão: “Estamos muito felizes com o início dessa parceria com o UniCEUB. Temos a orientação do governador Ibaneis Rocha de expandir a atuação da Codeplan para além da academia, desenvolvendo produtos voltados tanto para os gestores do GDF quanto para a sociedade”.

 

Outro ACT viabilizará a tradução para inglês e espanhol da nova edição do Atlas Distrito Federal. A publicação trará dados revisados de edições anteriores, inclusão de novas informações e inovação na apresentação dos resultados, que serão disponibilizados tanto em versão impressa quanto numa plataforma online. A previsão de lançamento é abril de 2020, mês em que Brasília completará 60 anos.

 

Entre os acordos firmados neste ano está um estabelecido com a Secretaria de Justiça e Cidadania para o desenvolvimento de uma ferramenta para gerir e acompanhar a trajetória de jovens e adolescentes entre 12 e 21 anos incompletos que cumprem medidas socioeducativas nas unidades de internação do Distrito Federal. O sistema chamado Jornada vai sistematizar informações sobre saúde, educação, situação jurídica, acompanhamento psicológico, conduta e atividades comuns à rotina desses jovens.

 

Ainda dentro desse acordo, a Codeplan está desenvolvendo uma pesquisa para traçar o perfil sociodemográfico e atribuições dos profissionais do sistema socioeducativo. O público-alvo são os assistentes sociais, pedagogos, psicólogos, técnicos e agentes socioeducativos do sistema.


Produtos que serão entregues em 2020
– Para o próximo ano, a Codeplan tem outros projetos de pesquisas que irão abranger economia, trabalho e rendimento, políticas públicas, gestão e inovação.

 

Na área de gestão três produtos se destacam: Índice de Governança e Gestão, Políticas Baseadas em Evidências e os policy briefs. O primeiro, em desenvolvimento com a Casa Civil, analisará a gestão de compras, de recursos humanos, de tecnologia da informação e os componentes da governança (liderança, estratégia e accountability). As Políticas Baseadas em Evidências, por sua vez, promoverão pesquisas nas secretarias para entender o que informam as políticas públicas distritais e a trilha de capacitação junto aos gestores sobre os temas.

 

Por fim, também serão elaborados policy briefs, documentos curtos que apresentam os principais resultados e recomendações de projetos de pesquisas para gestores não especializados na temática.

 

 

 

 

Para dar suporte às ações de gestão, a Codeplan já inaugurou nesse ano uma sala de monitoramento que visa acompanhar em tempo real os dados estatísticos do GDF e que deve, no próximo ano, sediar o Laboratório de Políticas Públicas, um espaço de debate, monitoramento e formulação de estratégias pelo governo com o apoio técnico da Codeplan.

 

No âmbito das políticas sociais, a empresa também planeja realizar pesquisas voltadas para grupos vulneráveis, como violência contra as mulheres, população em situação de rua e habitação de interesse social para baixa renda, com o objetivo de subsidiar as ações do executivo local nesses grupos.

 

Na área econômica, estão previstas pesquisas sobre expectativa do consumidor e oferta e demanda por mão de obra, com o intuito de compreender o comportamento financeiro do brasiliense e combater o desemprego por meio de soluções implementadas a partir dos dados obtidos.

 

Uma dessas iniciativas é o Mapa da Capacitação, que apresenta as demandas e as ofertas de capacitação por regiões administrativas. Outra novidade na mesma área é que a Pesquisa de Emprego e Desemprego, que passará a abranger os 12 municípios da Área Metropolitana de Brasília (Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Novo Gama, Padre Bernardo, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás), compreendendo as pressões de oferta e de demanda por trabalho que se originam desta região bem como funcionam todos os setores relacionados: serviço, comércio, indústria.

 

“A PED permitirá elaborarmos uma avaliação sobre dinâmica do emprego e desemprego no DF e nas cidades vizinhas. Também teremos logo no começo do ano uma nova Pesquisa Metropolitana por Amostra de Domicílios (PMAD), que é a pesquisa populacional dessas cidades. Dessa maneira, teremos condição de apresentar um diagnóstico completo sobre a área metropolitana”, afirma o presidente da Codeplan.


Trabalho institucional
– O ano de 2019 também foi de muito trabalho voltado para as melhorias de condições de trabalho na empresa. Compra de novas cadeiras, troca de filtros de água, elaboração de estudo sobre reparos necessários no prédio da empresa e negociação de um plano de saúde mais barato e de melhor qualidade foram alguns dos benefícios entregues aos empregados.

 

“Estabelecemos uma mesa permanente de negociação com os empregados, ouvindo suas demandas e debatendo todas as ações voltadas para o nosso dia a dia de trabalho. Acordo coletivo, transformação da Codeplan em instituto e a aquisição de um novo plano de saúde foram alguns dos temas debatidos exaustivamente com todos”, diz o presidente da empresa.

Ainda nesse ano, Lima pretende enviar à CLDF uma proposta de lei para transformar a empresa pública em autarquia, criando assim o Instituto de Pesquisas e Estatísticas do Distrito Federal (IPEDF). Com a mudança, o órgão deve se tornar mais sustentável, obtendo recursos de fontes públicas e privadas para o desenvolvimento de pesquisas e produtos.

 

“O nosso desafio é deixar de ser tão dependente de recursos públicos. Para superá-lo, temos de promover essa mudança na natureza jurídica da Codeplan. Será uma nova fase, o IPEDF trará sustentabilidade financeira e, certamente, entregaremos com mais agilidade os dados e levantamentos que o GDF nos demanda”, afirma o presidente.

 

 

CODEPLAN - Governo do Distrito Federal

Companhia de Planejamento do Distrito Federal

Setor de Administração Municipal - SAM, Bloco H, Setores Complementares - CEP: 70.620-080 - codeplan@codeplan.df.gov.br