Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/06/05 às 20h38 - Atualizado em 29/10/18 às 11h54

Guará recebe Ouvidoria Itinerante do GDF na próxima semana

(10/06/2005 – 17:38)
 
Ouvidoria011A partir do dia 13 de junho, segunda-feira, os 112.989 moradores do Guará vão receber pela quarta vez a unidade móvel de Ouvidoria do Governo do Distrito Federal, que permanece instalada no local, até o dia 18. 
 
Segundo a administração, a cidade do Guará foi criada em 1967, com a finalidade de abrigar trabalhadores do SIA – Setor de Industria e Abastecimento, Invasões, Núcleos Provisórios e Funcionários Públicos.
 
NOME GUARÁ – Seu nome se deve ao córrego Guará, que corta sua área e que provavelmente foi assim batizado em homenagem ao Lobo Guará, espécie comum no Planalto Central. Guará – do Tupi Guarani – é o nome que os nossos índios denominaram o Lobo Brasileiro, o “Lúpus Brasiliense”, seu nome científico. Animal de médio porte, de envergadura alta e alongada, é carnívoro, não sendo felino; tem pêlos de muita beleza, cor marrom e orelhas foliares de forma ovalada, azul cinza por dentro e cauda curta. 
 
As primeiras residências da cidade surgiram através do projeto “mutirão da casa própria” liderado pelo Dr. Rogério de Freitas Cunha, então presidente da NOVACAP, onde seus funcionários construíram suas próprias casas, sendo os primeiros habitantes da cidade. Sua inauguração ocorreu em 21 de abril de 1969; entretanto, seu aniversário é comemorado no dia 05 de maio.
Em setembro de 1969, a NOVACAP e a SHIS prosseguiram com a urbanização do segundo trecho, o setor Guará II, para atender os funcionários do Governo da União, inaugurado em 02 de março de 1972. O Decreto nº 2.356, de 31.08.73, cria a Administração Regional que compõe o Guará I, Guará II, o SRIA – Setor Residencial Industria e Abastecimento. Decretos posteriores modificaram os setores que compõem a RA.
 
ASSENTAMENTOS – Em 1985, o então Governador José Ornelas, já no final de seu governo, desenvolveu um programa de assentamento de famílias que moravam em invasões. Somente no Guará 523 famílias, que viviam precariamente na Vila União, Guarazinho, Vila Socó e Vila da CEB, ganharam terreno do GDF. Dois anos depois, mais 200 famílias da invasão da 110 Norte foram instaladas na QE 38. Em 1987 e dentro de sua história que registra um crescimento populacional acima das previsões, o Guará inchou ainda mais com a inauguração do Conjunto Habitacional Lúcio Costa. Em março de 1990 mais de 400 famílias foram assentadas nas QEs 42 e 44, elevando a população oficial para quase 100 mil pessoas, segundo dados registrados nos arquivos da CODEPLAN sobre o censo demográfico. 
 
CRESCIMENTO SUPEROU AS PREVISÕES – O Guará não parou no mutirão. Continuou a crescer para se transformar em uma das mais cobiçadas Regiões Administrativas do DF. Em 1984, atendendo aos apelos dos moradores, que se sentiam incomodados com o barulho das oficinas que funcionavam em residências nas quadras, o então Administrador Regional, Francisco Pinheiro Brandes, resolveu melhorar ainda mais a cidade, ele criou o Setor de Oficinas do Guará, em uma área privilegiada no coração da satélite. Resolveu dois problemas de uma vez, pois também atendeu as reivindicações dos mecânicos que queriam um lugar para trabalhar e retirou as oficinas do convívio dos moradores. O Setor Empresarial foi ampliado em 2000 com a implantação da Área de Desenvolvimento Econômico – ADE do Guará, conhecida também como Pólo de Moda, onde foram assentadas 420 novas empresas, que se tornou referência em todo Distrito Federal.
 
GUARÁ, BERÇO DA CLASSE MÉDIA – O Guará mudou totalmente o seu perfil nestes 33 anos; tornando-se, hoje, a Região Administrativa que concentra grande parte da classe média. Tem a sexta maior renda per capita das Regiões do Distrito Federal, segundo dados da PDAD – Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios, trabalho executado em 2004, também pela CODEPLAN, em parceria com a Secretaria de Planejamento.  As casas originais da época do mutirão, construídas pela SHIS, estão cedendo rapidamente lugar para sobrados e condomínios de bom nível, evidenciando a seleção sócio-econômico de sua população. A região é formada apenas por zona urbana. 
 
A Ouvidoria Itinerante é mais um trabalho executado pela Companhia do Desenvolvimento do Planalto Central – CODEPLAN. Neste projeto, conta com as parcerias da Corregedoria-Geral do DF e a Administração Regional do Guará, estando equipada com toda a infra-estrutura para registrar reclamações, sugestões, críticas, elogios, opiniões, solicitações de serviços e melhorias para a cidade.
 
Segundo Durval Barbosa, presidente da Companhia, desde o início de seu funcionamento, em junho de 2002, a Ouvidoria Itinerante já acolheu cerca de 40 mil solicitações nas diversas localidades por onde passou, visando melhorias para a população: policiamento nas ruas, asfalto, saneamento básico e médico para os postos de saúde são destaques entre os pedidos das comunidades visitadas. 
 
Confira, abaixo, as localidades em que a Ouvidoria estará atuando, no Guará:
 
13 e 14 de junho – Pólo de Modas, em frente à Hidrogênio -Guará  II;
15 e 16 de junho – QE 7, em frente ao BRB – Guará I;
17 de junho – Setor Habitacional Lúcio Costa – Guará I;
18 de junho – QE 42, Estacionamento atrás da Igreja – Guará II.
 
Mais informações pelo telefone 156, de segunda à sexta-feira, de 7h às 21h, sábado, domingo e feriados, de 8h às 18h,   ou ainda  na Administração Regional do Guará: 382-3344 Ramal: 303.

CODEPLAN - Governo do Distrito Federal

Companhia de Planejamento do Distrito Federal

Setor de Administração Municipal - SAM, Bloco H, Setores Complementares - CEP: 70.620-080 - codeplan@codeplan.df.gov.br