Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/09/06 às 14h21 - Atualizado em 29/10/18 às 12h06

CATI apresenta o Programa de Inclusão Digital do Distrito Federal e aprova novos planos diretores de gestão da informação

(01/09/2006 – 11:21)

Foi realizada no dia 30 de agosto, às 08h30, no Auditório do 2º andar da Federação das Indústrias do Distrito Federal – FIBRA, a 11ª reunião da CATI – Comissão de Coordenação das Atividades de Tratamento da Informação do Governo do Distrito Federal.  

Na pauta, a apresentação e apreciação dos Planos Diretores de Gestão da Informação Setoriais da Procuradoria-Geral do Distrito Federal, e Agência Reguladora de Águas e Saneamento do Distrito Federal – ADASA, além da Inclusão de novo projeto no Plano Diretor de Gestão da Informação Setorial da Secretaria de Estado de Infra-Estrutura e Obras, todos aprovados por unanimidade por seus conselheiros e membros natos. O PDGI tem por premissa principal a modernização tecnológica como ferramenta capaz de aumentar a velocidade de resposta com eficiência e eficácia ao público alvo dos órgãos de governo.  

Algumas descrições observadas dos projetos necessários à informatização da ADASA foram Capacitação na Área de Tecnologia da Informação; Implantação de Postos de Impressão e de Trabalho; Modernização e Infra-estrutura da Rede Lógica, Elétrica e de Voz; e, Projeto de Segurança de Rede. Já para a Procuradoria-Geral do Distrito Federal, Ampliação e Manutenção da Infra-estrutura de Rede; Capacitação em Tecnologia da Informação; Gestão Eletrônica de Documentos; Implantação de Ensino à Distância; Modernização do Parque Computacional; Monitoramento e Controle de Acesso Biométrico; Projeto de Política e Segurança de Rede; Solução Sistêmica de Controle de Acervo-Biblioteca; e, de Inventário on-line de Software e Hardware. Mas o ponto mais esperado foi a Apresentação e Apreciação do Programa de Inclusão Digital do Distrito Federal, que tem por objetivo contribuir para a implementação da Agenda de Ciência e Tecnologia no Governo do DF, já publicado no Diário Oficial.  

Esta agenda, além de enfatizar a inclusão digital, visa à promoção da produção de conhecimentos científicos e tecnológicos e sua apropriação econômica e social, destinada à elevação da empregabilidade, da renda e da qualidade de vida dos cidadãos da capital do país. É de conhecimento público que a exclusão digital intensifica a exclusão social. Grandes parcelas de atividades econômicas, ações governamentais, comunicações interpessoais, entretenimento e cultura estão migrando para a Internet, mantendo distante desse novo mundo “conectado” as pessoas que não têm habilidades mínimas para o uso de computadores e preparo para acessar a rede mundial.  

A erradicação do ‘analfabetismo digital”, na visão do Governo do DF é a única forma de se eliminar a exclusão acelerada à qual está exposta a camada menos privilegiada da sociedade, sendo hoje um dos temas mais debatidos no cenário internacional, com uma vasta construção de discurso. Nesse cenário o governo busca elevar a questão da alfabetização tecnológica e do acesso aos meios à condição de política pública, reconhecendo o direito do cidadão ao acesso ao conhecimento e à informação, considerando ser a Internet um bem público, devendo ser provida pelo Estado, prioritariamente às camadas menos favorecidas, respondendo aos anseios da população excluída e aos desejos da “sociedade da informação”.  

Com este ato, o governo dá visibilidade a esses novos temas e questões; testando abordagens e propostas inovadoras; mobilizando recursos e assegurando a implementação de um dos mais ambiciosos projetos de inclusão digital do País, respondendo com grande agilidade à complexa e enorme demanda por inclusão digital existente no DF.  

O Programa de Inclusão Digital do GDF destaca, ainda, a Visão de Futuro que promove uma “revolução silenciosa”, um termo de visão utilizado pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura, transformando Brasília em uma referencia nacional e internacional na produção de conhecimento e no fornecimento de produtos e serviços de alta tecnologia. Esse programa tem por Missão – Promover ampla inclusão digital utilizando as tecnologias, a educação e a informação como instrumentos de livre exercício da cidadania das camadas menos favorecidas da sociedade. Seus Valores Fundamentais tratam da solidariedade e respeito às diferenças socioeconômicas, culturais, étnicas, lingüísticas e de gêneros; liderança; inovação; excelência; transparência; co-responsabilidade; e equidade.  

O Objetivo Estratégico – Promove uma inclusão digital completa, por meio da capacitação, e da conectividade de todos os cidadãos do DF. Ou seja, não apenas para as classes “D e E”, mas para todos. As Metas Desafiadoras – Conceber, desenvolver e implementar o mais abrangente programa de inclusão digital do País.  

O Programa de inclusão Digital do Distrital Federal tem três pilares básicos: o Acesso ao Conhecimento, o Acesso ao Equipamento e o Acesso à Internet. Os resultados esperados devem atingir os Jovens nos quesitos: Educação, Formação profissional e emprego, Lazer, Cultura e Política e Cidadania. Ao Idoso, ao Cidadão portador de necessidades especiais, o Servidor Público, para o Empresário, para am Gestão Pública, para todo o Cidadão, Para todo o DF que dentre outros pontos não menos importantes, elevará Brasília ao nível das mais modernas cidades do mundo, como Houston, Filadélfia, San Francisco, Taipe, etc. Mais informações, pelo telefone 3363-8052.

CODEPLAN - Governo do Distrito Federal

Companhia de Planejamento do Distrito Federal

Setor de Administração Municipal - SAM, Bloco H, Setores Complementares - CEP: 70.620-080 - codeplan@codeplan.df.gov.br