Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/11/14 às 19h39 - Atualizado em 29/10/18 às 11h54

Inflação desacelera

Tanto o cenário nacional quanto o regional apontaram para o mesmo caminho no mês de outubro: desaceleração da alta de preços. A inflação no Brasil ficou em 0,42% e no DF em 0,47%, ante 0,57% e 0,98% do mês anterior, respectivamente. Foi o que mostrou o IPCA/DF divulgado pela Codeplan na tarde de hoje (07/11).

No índice acumulado dos últimos 12 meses, a inflação está em 6,42% no DF, enquanto no Brasil está em 6,59%, acima do teto da meta estabelecido pelo Banco Central. O Presidente da Codeplan Júlio Miragaya lembrou que, embora o índice nacional esteja superior ao pré-estabelecido, só é possível falar em acumulado de 12 meses ao final do ano, sendo precipitado, portanto, falar em estouro do teto da meta por enquanto.

Segundo o economista da Codeplan Newton Marques, a inflação no Brasil foi influenciada, principalmente, pela alta nos preços referentes aos setores de alimentos e bebidas (0,46%), habitação (0,68%) e transportes (0,39%). No DF, o encarecimento dos vestuários foi o principal responsável pelo índice, sendo registrado aumento de 2,25% no setor.

Jusçanio Souza, gerente de Base de Dados da Codeplan, afirmou que o quadro atual não configura inflação descontrolada. Segundo ele, é necessário ter discernimento técnico ao analisar os índices de inflação, pois o momento político acaba deturpando o debate econômico.

Após a apresentação dos dados do IPCA, pela Codeplan, o economista da Ceasa-DF João Bosco exibiu os resultados do ICDF. A pesquisa mostra a variação de preços de atacado dos produtos hortifrutigranjeiros no Distrito Federal, que em outubro registraram inflação de 0,83%.

A maior elevação de preços foi identificada no setor das verduras, 17,60%, causada principalmente pela alta do repolho (70%), alface (35% do tipo americana e 26,25 dos tipos lisa e crespa) e couve-flor (22,50%). No caso dos legumes, o aumento geral de 0,99% foi muito influenciado pela alta dos preços do tomate (58,32%), inhame (30,87%) e batata lisa (7,51%). O grupo das frutas tiveram alta de 0,44%; entre os produtos que mais encareceram estão os limões (43,10%), os maracujás (41%) e as laranjas (25,83%). O setor de ovos e grãos foi o único a apresentar redução nos preços de atacado, regredindo 8,31% no mês de outubro.

A estiagem de São Paulo tem reflexos imediatos nos preços de hortifrutigranjeiros no Distrito Federal, é o que explica o técnico de mercado da Ceasa-DF Fernando Santos. Segundo ele, grande parte do limão – fruta que registrou o maior aumento – comercializado na empresa vem de SP, que teve sua safra prejudicada pela seca. Santos destacou a importância dos produtores locais para o equilíbrio de mercado no DF em casos de ofertas reduzidas de outros Estados.

A divulgação dos dados do IPCA/DF e ICDF do mês de novembro serão divulgados no dia 5 de dezembro.

Confira a análise do IPCA e IPCA/DF aqui.

Veja o ICDF aqui.

Texto: Júlio Poloni
Foto: Arquivo Agência Brasil

CODEPLAN - Governo do Distrito Federal

Companhia de Planejamento do Distrito Federal

Setor de Administração Municipal - SAM, Bloco H, Setores Complementares - CEP: 70.620-080 - codeplan@codeplan.df.gov.br